Do que é feito o amor?

quinta-feira, 4 de março de 2010

Às vezes eu fico pensando nisso. Quais os elementos básicos do amor? De que forma ele nasce, se alimenta, cresce? De que forma o amor morre? Tenho pra mim que o amor tem como ração o invisível, aquilo que não se ouve, que não se sabe. Os pequenos detalhes que os olhos não reconhecem, mas que o amor jamais deixaria passar. Detalhes que alimentam um sentimento que se expande, invade nosso ser. O amor em suas variadas formas.
Será que foi aquela ligação? Será que o amor surgiu no meio das cartas, mensagens de texto e e-mails recebidos? Será que o amor veio até nós através do aroma daquele lindo buquê de flores, em plena primavera? Será que veio nas palavras de um cartão? Antes ou depois daquela declaração? Ou simples, como a chuva, o amor cismou de aparecer em dia de sol?
Algo acontece. Simples ou não, acontece. E o amor muda a gente, né? O amor abre portas e possibilidades. Altera os significados. Abre nossos olhos para ver o que realmente importa. Nos deixa bobos, nos faz crianças. Nos ensina responsabilidades.
Assim como vem, rápido, silencioso, se instalando como se fosse o dono da casa, o amor se vai? Será que o amor acaba? Será que o que dizer sobre ‘o amor que acaba não ser amor’ é verdadeiro? Mas o que é o amor? Se o que foi sentido, ainda que tão intenso e tão significativo, e ‘acabou’ não era amor, então o que era?
Será que o amor é como uma flor? Você rega, dá sombra, põe água e ele permanece bonito, sorridente? O que seriam essas coisas na linguagem do amor? Carinho, atenção, cuidado? O amor morre sem isso?
E como se mede o amor? Ou será o amor sempre igual? Amor é amor, do jeito que for, sem categorias, simplesmente amor e ponto? Independente do tempo que se passa junto, da quantidade de mensagens, e-mails, telefonemas, visitas, scraps e depoimentos no Orkut, replys no Twitter, café da manhã na cama, abrir a porta do carro, quem desliga o telefone primeiro, quem fala mais sobre o que sente, sinais de fogo, o que quer que seja? O que são essas coisas para o amor? Que efeito elas tem sob tal sentimento? Faz alguém nos amar mais? A falta disso quer dizer que alguém nos ama menos? Como se mede?

“O amor é um não sei quê, que surge de não sei donde e acaba não sei como.” Madeleine Scudéry

4 comentário(s):

  1. Dauryda disse...:

    Nossa, quantas perguntas,rsrs. Mas o amor tem dessas coisas, um quê de mistério, de ansiedade, alegria, entusiasmo. Do que ele é feito? Podem haver inúmeras formas, mas isso só pode ser feito se houver sinceridade.

    Parabéns pelo post!
    bjs

  1. Tania disse...:

    Humm, Quem será a fonte de tanta inspiração? O Amor, o Amor? PArabéns, tá lindo!!! Bjo

  1. Leandro Neri disse...:

    Veja aqui os componentes do amor:
    http://www.umsabadoqualquer.com/wp-content/uploads/2009/11/294.jpg

    =P

    Xeeeero!!!

  1. kéuleal disse...:

    Muito lindo esse texto amiga, e quantas perguntas rs
    O amor muitas vezes é algo dificil de se entender.

    bjs